20
Mon, Nov
14 New Articles

Oliveirense 1 - 2 Famalicão

Felgueira 1932 1 – Tirsense 0

Vizela 1 - 0 Ribeirão

Com este resultado o Famalicão termina a primeira fase em primeiro lugar da tabela e vai disputar a fase de subida à segunda Liga.

 

Equipas na fase de subida
Zona Norte:
Fafe
Mirandela
Famalicão
Varzim
Salgueiros 08
Sousense
Lusitano Fcv
Cesarense

 

Zona Sul:
Benfica Castelo Branco
Nogueirense
Caldas 
Mafra
1º Dezembro
Casa Pia
Operário
Louletano

Os primeiros classificados sobem directamente à Segunda Liga, enquanto os segundos disputam entre si um play-off para apurar o 3º clube promovido.

Uma incubadora única que vai nascer numa das mais emblemáticas empresas de Vila Nova de Famalicão. A Riopele, sediada em Pousada de Saramagos vai acolher, a partir de maio, uma incubadora de projetos empresariais, no âmbito do Famalicão Made IN. O protocolo entre a empresa e a Câmara foi assinado no dia 15 de janeiro.

A oferta de formação e qualificação para jovens e adultos na região do Ave vai passar a corresponder a um diagnóstico de necessidades da região, que será elaborado pela Comunidade Intermunicipal do Ave e coordenado pelo Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional de Vila Nova de Famalicão (CQEP). Isso mesmo ficará assente no protocolo de colaboração que será celebrado entre a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP) e a CIM do Ave na próxima segunda-feira, 19 de janeiro, numa cerimónia que vai decorrer na Escola Secundária D. Sancho I, a partir das 10h30.
A sessão ficará ainda marcada pela assinatura de mais dois protocolos de colaboração entre o CQEP e as entidades formadoras e outro entre o CQEP e cerca de vinte empresas do concelho. Os objetivos são planear, gerir e conciliar a formação de jovens e adultos do concelho, promovendo a sua empregabilidade.
Para além do presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, estarão presentes na cerimónia o presidente da ANQEP, Gonçalo Xufre, o presidente da CIM do Ave, Manuel Baptista, o diretor geral de Educação, José Alberto Moreira Duarte e o Delegado Regional do Norte do Instituto de Emprego e Formação Profissional, César Ferreira.
“A celebração destes protocolos representam, acima de tudo, a agilização e a coordenação eficaz entre a procura e a oferta do mercado de trabalho na região. Queremos cidadãos qualificados e a trabalhar na sua área de formação. Queremos criar uma sociedade equilibrada, com todas as instituições a remar no mesmo sentido”, afirma a propósito Paulo Cunha.
Refira-se que Vila Nova de Famalicão tem sido constantemente apontado, por diversos organismos, pelas boas práticas educativas e pelo trabalho da Rede Local de Educação e Formação, onde são definidas as ofertas formativas concelhias e as soluções para uma melhor rendibilização do sistema educativo.
O modelo de funcionamento e organização do CQEP VNF, inovador e reconhecido a nível nacional, integra todas as entidades concelhias de educação e formação da Rede Local de Educação e Formação de Vila Nova de Famalicão, com sede localizada no Município e polos nos estabelecimentos de ensino (regime de itinerância), através de uma estratégia tendente a maximizar e potenciar as estruturas de parcerias existentes no concelho, por forma a melhor garantir a sustentabilidade das diversas ações, resultados e objetivos.
O CQEP VNF iniciou a sua atividade a 21 de maio de 2014. Desde então já prestou serviços de informação, orientação e encaminhamento a 603 adultos. Promoveu ações de orientação vocacional a mais de dois mil jovens que frequentam o 9.º ano de escolaridade e desenvolveu processos de reconhecimento de competências escolares, validação de competências a 76 adultos, entre muitas outras ações e atividades.

Pode parecer exagerado dizer que o Carnaval de Vila Nova de Famalicão é único no País. Mas não é nada exagerado! Aliás, pode-se até dizer mais: o Carnaval de Famalicão é genuíno, espontâneo e verdadeiramente surpreendente. Só quem o experimenta sabe como é, e nunca mais o troca por nenhum outro!
Por isso, são cada vez mais os foliões que escolhem esta cidade para celebrar o carnaval e desfrutar de uma das mais longas e divertidas noites do ano.

Na noite de segunda para terça-feira, todos os caminhos vão dar a Vila Nova de Famalicão.

Com origem no tradicional Entrudo português, o Carnaval famalicense nasce da participação livre das pessoas, que saem à rua em massa encarnando as mais diversas personagens. O costume começou há pouco mais de uma década, mas com o tempo ganhou uma força incrível e uma popularidade enorme.

Animação, criatividade e muita boa-disposição são os principais ingredientes, faça chuva ou faça sol!

Tendo como palco principal a zona envolvente ao Parque da Juventude, nomeadamente as ruas Luís Barroso, Luís de Camões, Praça 9 de Abril, Avenida de França e Rua D. Fernando I, a festa estende-se por toda a cidade.

A Câmara Municipal ajuda a festa com animação musical a cargo da Orquestra Del Mar e vários Dj’s convidados.

O carnaval decorre noite dentro e só termina de manhã com muita alegria e boa-disposição.

Para que a festa decorra em segurança, a Câmara Municipal convida, este ano, os foliões a deixarem o carro em casa. Para isso criou, em colaboração com as transportadoras Transdev e Arriva, cinco circuitos de transporte gratuito no concelho.

Para quem vier de fora do concelho, a CP tem viagens especiais para o Carnaval de Famalicão, por apenas 2 euros ida e volta, na linha urbana do Porto.

Mobilizar, motivar, conhecer e resolver problemas. É com estes objetivos que o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão iniciou ontem, em Abade de Vermoim e em Antas, uma nova ronda do roteiro associativo do concelho, que o leva uma vez por ano a um périplo pelas freguesias de Famalicão para reunir com todos os movimentos formais e informais locais.

Depois de um balanço “francamente positivo” da primeira ronda do roteiro, em 2014, Paulo Cunha quer manter “o alinhamento de proximidade com a população famalicense” e assume querer manter “as preocupações centradas nos problemas das associações e das freguesias do concelho”.

Será pois “um ciclo de aprofundamento” aquele que foi ontem iniciado, para dar mais força “a uma plataforma de interação, cumplicidade e compromisso entre a Câmara, as associações, os grupos informais e os cidadãos, para que sejamos cada vez mais um corpo só nesta dinâmica que queremos que seja concelhia”, afirmou o edil.

Paulo Cunha não receia prestar contas aos famalicenses e ser confrontado com o que ainda não foi feito. “No ano transato colhemos contributos que nos permitiram colocar no terreno alguns projetos, como a brigada para as associações, e resolver alguns problemas, mas sabíamos que não era possível debelar todos os problemas em apenas um ano”, disse, acrescentando que “as associações conhecem o ponto da situação dos processos relacionados com as suas necessidades e reivindicações”.

Isso mesmo foi notório ao longo das duas reuniões que se realizaram ontem, com várias associações a reclamarem atenção para problemas seus, mas também a agradecerem o que foi entretanto feito. Foi o exemplo, entre outras, da paróquia de Abade de Vermoim que agradeceu o apoio da autarquia na construção da nova capela mortuária e na obra de requalificação do adro da igreja, e da Associação Recreativa e Cultural de Antas pelas beneficiações operadas na sua sede social.

Este é mesmo o diálogo que o presidente da Câmara de Famalicão elenca como uma das mais valias deste processo de auscultação da sociedade civil, porquanto “permite manter o Executivo Municipal melhor informado sobre a realidade do concelho e sobre as dinâmicas das freguesias e das forças vivas que trabalham no território, não só ao nível da informação mas também ao nível do grau de envolvimento coletivo de cada uma”.

Oito restaurantes a concurso e três pratos em cima da mesa: Bacalhau à Lagareiro, Rojões com Papas de Sarrabulho e Costela Mendinha Assada no Forno. Vai ser assim a Quinzena Gastronómica de Vila Nova de Famalicão, que se realiza de 1 a 15 de fevereiro.

O evento que se assume cada vez mais um fator de atração turística para o concelho, projetando Famalicão como destino gastronómico de excelência vai já na sua XIII edição.

O júri do concurso composto por elementos da Câmara Municipal de Famalicão, da Confraria de Gastrónomos do Minho e da Entidade Turismo do Porto e Norte de Portugal, vai percorrer os restaurantes a concurso avaliando em primeiro lugar a qualidade e genuinidade das receitas, mas também o serviço, a apresentação e as instalações.

Cada restaurante apresenta dois pratos, sendo um comum a todos: o Bacalhau à Lagareiro e um dos outros à escolha. Assim sendo, os restaurantes Moutados de Baixo, Churrasqueira do António e Sara Cozinha Regional apresentam os Rojões Com Papas de Sarrabulho. Por sua vez, o Churrascão Sousa, o Prato Restaurante, a Casa de Pasto "O Tosco", “O Val” e “A Malcriada” apresentam a Costela Mendinha Assada no Forno.

“Ter bons restaurantes e boa comida é um fator de promoção da nossa terra, da nossa cultura e da nossa economia”, afirma a propósito o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, que assume a “importância da gastronomia como um elemento de atração turística e como uma das componentes socioculturais que mais identificam uma comunidade”.

A Quinzena Gastronómica coloca todas as atenções sobre os restaurantes famalicenses e, em particular, sobre a arte de cozinhar, que, desde tempos imemoriais, faz escola em Vila Nova de Famalicão. Como refere Paulo Cunha, “não é por caso que ouvimos dizer, com frequência, que, em Famalicão, come-se muito bem, o que nos deixa muito orgulhosos”.

Videos em destaque

Siga-nos no facebook