25
Tue, Jul
1 New Articles

Trofa

Este domingo, 22 de janeiro, todos os caminhos vão dar à festa de S. Gonçalo, que se realiza na freguesia de Covelas, no concelho da Trofa.

A festa de S. Gonçalo é a primeira romaria do concelho da Trofa. No domingo, são esperados milhares de pessoas que, a pé, de bicicleta, de cavalo, de mota ou de carro, se deslocam a Covelas para provar o rojão e o vinho novo. E os mais devotos aproveitam ainda para puxar a bengala do Santo para arranjar um marido.
Mas a festa começa esta sexta-feira, com um espetáculo de folclore, pelas 22 horas. No dia seguinte, o grupo de Zés P'reiras vai anunciar o início das festividades, a partir das 8.30 horas. Está marcada uma Eucaristia de ação de graças pelos Gonçalos, pelas 12 horas, e uma missa vespertina pelas 18 horas. A animação continua pelas 21 horas, com o espetáculo musical da banda Terceira Dimensão, terminando com uma sessão de fogo de artifício. Já no domingo, há a Eucaristia de Ação de Graças ao Mártir S. Sebastião, na Igreja Matriz, pelas 8 horas, e uma missa em honra de S. Gonçalo, pelas 10 e 11.30 horas, na Capela. A animação deste dia vai estar a cargo da Banda Filarmónica S. Mamede de Ribatua, a partir das 9 horas, e da Banda dos Bombeiros Voluntários de Leça, a partir das 14.30 horas. Para as 15.30 horas, está marcada a celebração da Palavra, seguida da procissão em honra de S. Gonçalo.
Segunda-feira ainda é dia de festa, com uma eucaristia e procissão de voto, pelas 9 horas, na Capela de S. Gonçalo. Às 15 horas há ainda espetáculo musical pelo grupo Sons e Cantares do Ave.

Amigos do Pedal com Passeio do Rojão

A Associação Amigos do Pedal de Famalicão organiza mais um Passeio do Rojão, com destino a Covelas, para participar na festa de S. Gonçalo. A partida está marcada para as 9.30 horas de domingo, 22 de janeiro, dos Paços do Concelho de Vila Nova de Famalicão.
Um passeio que também é solidário e, por isso, a organização pede aos participantes que tragam “um bem de primeira necessidade”, que depois será entregue à Associação de Solidariedade Dar as Mãos.
Paulo Machado Ruivo, presidente da direção da Associação Amigos do Pedal, afirmou que este passeio é “o mais atípico que existe, porque não há formalidade, inscrições, nem seguro”. “Vamos para nos divertir. Queremos chegar lá e poder comer e beber, que é o que a gente vai lá fazer”, referiu, aconselhando quem ainda não foi ao S. Gonçalo de Covelas, a ir, porque é “uma festa muito bonita e um fenómeno único, que não dá para controlar”, com pessoas “a chegar às 11 horas, às 13 ainda há quem esteja a chegar e as 17 horas há quem não consiga vir embora”.

Videos em destaque

Siga-nos no facebook